Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 16/05/2018 às 16:13:00
Transporte coletivo em Londrina vai ter mudanças a partir de novo contrato
Alterações visam atender melhor os passageiros.

Adequar o sistema de transporte coletivo à nova realidade de Londrina. Esse é o desafio da CMTU para a empresa ou empresas que assumirem os serviços de transporte coletivo a partir de janeiro de 2019. Nessa data, vence o contrato de serviço entre a Companhia e as duas empresas, LondriSul e Grande Londrina que operam hoje na cidade. O gerente de transportes da CMTU, Wilson de Jesus, afirma que o prazo limite para que as empresas demonstrem interesse em renovar ou não o contrato é em julho.

O poder público já analisa juridicamente as duas possibilidades. A exigência é a manutenção e ampliação na prestação do serviço, o que praticamente descarta a questão do monopólio. Hoje, 70 mil usuários utilizam o transporte coletivo todos os dias. Apesar de considerar pontuais algumas reclamações, Wilson defende a necessidade de reformulação no sistema.

As mudanças serão implantadas só depois de ouvir a população.

A melhoria da mobilidade urbana será um dos pontos altos e a CMTU quer retorno dos usuários, com críticas e sugestões.

Na parte estrutural, projetos complementares de reforma dos terminais urbanos já estão praticamente prontos. Os quatro terminais Acapulco, Milton Gavetti, Ouro Verde e Vivi Xavier serão totalmente reconfigurados.

Veja também
25/05/2019
Audiência Pública para discutir novo edital do transporte coletivo de Londrina tem baixa participação popular
Diretor de Transporte da CMTU diz que tarifa prevista no primeiro certame, não vale mais e que preço da passagem deve ficar próximo do atual, R$ 4,25.
24/05/2019
Mãe de Eduarda fala sobre a morte da filha e divulga arquivos da família, a garota de 11 anos foi estrangulada e assassinada, o pai é suspeito de cometer o crime
A ação ocorreu há um mês, o corpo da menina foi encontrado enterrado e amarrado nos fundos de uma propriedade do pai.
24/05/2019
Fim da obra na avenida Faria Lima fica para setembro
A empresa alegou dificuldade para terminar o serviço por conta da chuva e pediu um aditivo de mais quatro meses.
24/05/2019
ACIL afirma que vai recorrer da decisão que a obriga devolver R$ 500 mil para a prefeitura de Londrina
A entidade foi condenada pela justiça no caso da campanha LondriNatal de 1999.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.