Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 12/07/2018 às 19:11:00
Sema busca parceria com a UEL para combater formigas
Em fundos de vale não pode ser usado veneno e a alternativa é elaborar estratégias para erradicar os insetos.
Sema busca parceria com a UEL para combater formigas

A Secretaria Municipal do Ambiente luta para combater a proliferação de formigas em espaços públicos.

Em praças e campos podem ser utilizados formicidas que matam a rainha e acaba com o ninho.

Mas em fundos de vale, para não prejudicar ou poluir a vegetação, é preciso usar outros métodos que não seja veneno.

De acordo com o Secretário do Ambiente, Gilmar Pereira, a Universidade Estadual de Londrina – UEL foi chamada junto com outras universidades para colaborarem com um projeto de erradicação do inseto em fundos de vale. Ainda não há nada previsto, mas as equipes técnicas da SEMA devem se reunir com o departamento de biologia da UEL para conseguir alternativas.

Gilmar ressalta que as reclamações sobre a invasão dos insetos em áreas públicas é constante. Um formigueiro de um metro de altura foi combatido na região norte de Londrina.

A maior preocupação com os inseticidas é com a vegetação. Porém, pessoas alérgicas devem ficar atentas. Esse período do inverno os formigueiros se proliferam por armazenarem alimentos.

Veja também
25/09/2018
Ocupantes do Flores do Campo vão até a prefeitura e não avançam em negociações
A proposta apresentada de dar condições de moradia a apenas uma parcela das famílias que vivem no local não agradou nem a promotoria.
25/09/2018
Curso de medicina continua sendo o mais concorrido do vestibular da UEL
São 122 candidatos concorrendo por vaga.
25/09/2018
Governadora faz rápida visita a Londrina e vistoria obras no HU
Em entrevista Cida Borghetti falou sobre o pedido de afastamento de Beto Richa da campanha e sobre o Refis para as empresas do estado que teve um pedido de explicações do Ministério Público.
25/09/2018
Sindicalista investigado pela operação Registro Espúrio diz que é inocente e que valor recebido pela federação foi autorizado pela justiça
Os R$ 2,5 milhões questionados pela Polícia Federal teriam sido, segundo ele, para pagar uma dívida da União com a Fenatracoop.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.