Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 11/02/2019 às 06:22:00
Secretaria de saúde começa aplicação de fumacê em bairros de Londrina
Neste primeiro momento, o inseticida vai ser aplicado nas regiões sul e leste, que apresentam maior número de confirmações de dengue.
Secretaria de saúde começa aplicação de fumacê em bairros de Londrina

A secretaria municipal de saúde recebe, nesta segunda-feira, 10 caminhões de fumacê, que é o inseticida que mata os mosquitos Aedes Aegypti adultos. A diretora de vigilância em saúde, Sônia Fernandes explica que a aplicação, neste primeiro momento, será feita nos bairros que apresentaram o maior número de casos confirmados. Ou seja, regiões sul e leste da cidade.

Nessas mesmas regiões, estão sendo desenvolvidas outras ações de combate ao mosquito transmissor. 130 agentes vão percorrer casas para orientar a população e fazer a retirada de criadouros ou até mesmo mosquitos em água parada. Os bairros que serão visitados nesta semana são: jardins União da Vitória I, II e III, Santa Joana, Novo Perobal, São Lourenço, São Marcos, Campos Elísios, Saltinho, Parque das Indústrias, Ouro Branco, Piza, Roseira, Califórnia, San Fernando, Monte Belo, Cafezal I e II. Alto do Cafezal e Acapulco.

A orientação da secretaria de saúde é abrir portas e janelas quando o caminhão do fumacê estiver passando.

Só neste ano, já foram confirmados 44 casos de dengue. Segundo o último boletim divulgado já são 551 notificações da doença.

Veja também
23/04/2019
Prefeitura ainda terá que abrir processo licitatório fechar a cratera no conjunto Neymann Sahyun
A intenção no início do ano era contratar emergencialmente uma empresa para tapar o buraco, mas a obra é maior do que o esperado e será preciso licitar.
23/04/2019
Projeto que altera cálculos de horas extras de servidores vai ser melhor discutido
A proposta que altera o Estatuto do Servidor Municipal foi questionada pelo Sindicato da categoria.
23/04/2019
Parceria com UEL vai formar Núcleo de Apoio Técnico ao Poder Judiciário
A intenção é que os trabalhos iniciem em dois meses e deve agilizar sentenças de solicitações a medicamentos que não estão disponíveis no SUS.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.