Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 16/05/2018 às 20:07:00
Reunião Pública discutiu a restrição da venda e do consumo de bebida alcoólica em locais públicos
Moradores do Jardim Higienópolis, no centro da cidade, não aguentam mais a baderna.
Reunião Pública discutiu a restrição da venda e do consumo de bebida alcoólica em locais públicos

A reclamação é da dona Adelaide Wolzinski, de 71 anos, moradora da rua Riachuelo, no Jardim Higienópolis.Dona Adelaide participou com outros 30 moradores da reunião que pede a restrição da venda e do consumo de bebida alcoólica em locais públicos da cidade.

O assunto já foi tema de audiência pública em abril, quando os moradores lotaram as galerias pedindo urgência para restabelecer o sossego público.

Além do barulho e da sujeira, a preocupação é com milhares de jovens que ficam nas ruas bebendo e até consumindo drogas.

Tânia Costa, presidente da Associação dos moradores do Jardim Higienópolis, pede a aprovação do projeto.

Durante a reunião, o representante do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja, Felipe Daud, indicou um substitutivo porque discorda da medida.

O relator pela Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente e pelo Desenvolvimento Econômico, vereador Valdeir dos Metalúrgicos, pediu novo parecer da assessoria técnica que tem prazo de 30 dias para se manifestar.

Veja também
17/07/2018
Sem chuva há mais de um mês, Londrina entra em estado de atenção por conta da baixa umidade relativa do ar
Índice está bem abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Com tempo seco, cuidado com a saúde precisa ser redobrado.
17/07/2018
Após divulgação de conversa, advogados de defesa da Comissão Processante da ZR3 pedem investigação contra vereador Filipe Barros
Mensagens mostram que assessor do parlamentar sabia que Rony Alves e Mário Takahashi iriam ser alvos de operação do Ministério Público meses antes de caso vir à tona.
17/07/2018
Mudanças na Lei Estadual de Inovação podem ajudar Londrina a se tornar grande polo de tecnologia
Cidade é a principal do estado na criação de startups, que, depois das alterações, terão mais meios pra captação de recursos e investimentos.
16/07/2018
Ação Civil Pública quer retorno da educação integral para crianças de quatro anos da rede municipal
Ministério Público argumenta que mudança foi um retrocesso, já que retirou direitos já garantidos à população.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.