Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 13/03/2019 às 14:51:00
Promotor promete acionar a justiça contra o prefeito de Rolândia, que aditivou contrato com empresa que é denunciada em operação
MP não descarta novo pedido de afastamento de Luiz Francisconi.
Promotor promete acionar a justiça contra o prefeito de Rolândia, que aditivou contrato com empresa que é denunciada em operação

O promotor Renato de Lima Castro, coordenador do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate a Improbidade Administrativa (Gepatria) se diz indignado com o aditivo, feito pela prefeitura de Rolândia, no contrato com uma empresa de transportes de Cambé. Isso porquê um dos donos está na lista de investigados na operação do Ministério Público (MP), que terminou no afastamento do prefeito de Rolândia, Luiz Francisconi Neto. Eles e mais servidores e ex-secretários municipais respondem pela acusação de prática de 35 crimes. Além disso, o promotor afirma que ele descumpriu uma medida cautelar, imposta pela justiça, que o proíbe de ter contato com os demais investigados.

Castro afirma que o MP vai acionar a justiça para que ela tenha conhecimento das irregularidades cometidas no município. A empresa de transportes coletivos, que teve o contrato aditivado presta serviço ao município desde 2015 e este foi o sexto aditivo.

O promotor analisa inclusive, se o MP vai pedir um novo afastamento dele da função de prefeito.

O prefeito nega irregularidades e justifica que, o serviço, por ser essencial, não poderia ser interrompido. E que a prefeitura não teria tempo hábil para abrir uma nova licitação, por isso, a necessidade desse aditivo.

Francisconi voltou ao cargo no dia 18 de fevereiro, por decisão judicial. Ele estava afastado desde setembro, quando foi deflagrada a operação do MP, que investiga um suposto esquema de pagamento de propina ao prefeito em troca de benefício de uma empresa no aluguel de um barracão municipal.

Veja também
25/05/2019
Audiência Pública para discutir novo edital do transporte coletivo de Londrina tem baixa participação popular
Diretor de Transporte da CMTU diz que tarifa prevista no primeiro certame, não vale mais e que preço da passagem deve ficar próximo do atual, R$ 4,25.
24/05/2019
Mãe de Eduarda fala sobre a morte da filha e divulga arquivos da família, a garota de 11 anos foi estrangulada e assassinada, o pai é suspeito de cometer o crime
A ação ocorreu há um mês, o corpo da menina foi encontrado enterrado e amarrado nos fundos de uma propriedade do pai.
24/05/2019
Fim da obra na avenida Faria Lima fica para setembro
A empresa alegou dificuldade para terminar o serviço por conta da chuva e pediu um aditivo de mais quatro meses.
24/05/2019
ACIL afirma que vai recorrer da decisão que a obriga devolver R$ 500 mil para a prefeitura de Londrina
A entidade foi condenada pela justiça no caso da campanha LondriNatal de 1999.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.