Londrina - AO VIVO
Momento de Fé:
Padre Marcelo Rossi
Ouvir
Publicado em 08/08/2018 às 14:36:00
Programa “Gestão à vista” pretende dar mais agilidade e controle aos processos licitatórios da prefeitura
O novo modelo foi implantado por meio de uma parceria com a Universidade Estadual de Londrina.
Programa “Gestão à vista” pretende dar mais agilidade e controle aos processos licitatórios da prefeitura

O prefeito Marcelo Belinati apresentou o sistema “Gestão à vista”, desenvolvido pelo Núcleo Interdisciplinar de Gestão Pública (NIGEP) da Universidade Estadual de Londrina (UEL). A intenção é que a prefeitura seja mais ágil, tenha mais transparência e eficiência nos processos licitatórios, trâmites burocráticos de obras e outros projetos desenvolvidos pelo poder público. Assim, o município deixa de perder prazos e tem um controle maior das atividades, como destaca o prefeito.

A evolução dos projetos é acompanhada semanalmente. Um painel, com as tabelas, foi exposto no gabinete do prefeito e é usado pelos servidores públicos também. Estão listados mais de 140 processos e obras em andamento, com todos os passos que já foram dados e que estão programados. Segundo o secretário de governo, Juarez Paulo Tridapalli, os resultados já apareceram.  

A parceria para atuação desse núcleo ocorre por meio de um termo de cooperação técnica, firmado entre o município e a UEL, ou seja, não há custos para a prefeitura.

Veja também
22/10/2018
Verão vai ser de chuva acima da média e temporais ainda mais intensos que os da semana passada, por causa do “El Niño”
Especialista diz que é cada vez mais difícil prever a intensidade das chamadas tempestades de verão e atribui boa parte do problema à derrubada das florestas do estado.
22/10/2018
Investigação de morte de servidora do HU de Londrina ainda é tratada em sigilo
Lucélia Pires Ferreira de 56 anos foi encontrada morta na represa Capivara, no início desse mês, um dia depois de ter sido dada como desaparecida pela família.
22/10/2018
Prefeitura faz leilão de bens nesta terça-feira
Expectativa é arrecadar mais de R$ 400 mil com os 143 lotes, que têm desde caminhões até sucatas de equipamentos como motores e bombas.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.