Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 12/02/2018 às 17:05:00
Procon quer implantar programa de renegociação de multas
Empresas inadimplentes terão descontos e ainda poderão parcelar dívidas.

O coordenador do Procon, Gustavo Richa, pretende repetir a fórmula da Secretaria Municipal de Fazenda e tornar realidade uma iniciativa semelhante ao Profis para renegociação de multas aplicadas pelo órgão de fiscalização. A ideia ainda tramita internamente na prefeitura, sendo que atualmente está sob análise da Secretaria de Governo. 

Com o programa, empresas inadimplentes poderiam parcelar as dívidas e ainda ganhariam descontos na regularização. As infrações giram em torno de R$ 500 milhões, mas o valor demora a ser depositado por questões judiciais.

Richa observou que as multas impostas não se limitam a apenas um segmento comercial. Ele também explicou qual é o critério adotado para identificação das irregularidades.

O coordenador do Procon ainda espera a deliberação interna do projeto, que logo depois será enviado à Câmara. Se tudo transcorrer sem imprevistos, a expectativa é que o Profis seja implantado até o mês que vem. Em caso de boa adesão, ele não descarta a possibilidade de repetir o programa para 2019.

Veja também
21/02/2018
Câmara quer reunião com entidades para discutir revogação de plebiscito da Sercomtel
Leis aprovadas na década de 90 e em 2009 estabelecem consulta popular para decisões que envolvam situação financeira da telefonia
21/02/2018
CMTU modifica vias do Parque Guanabara para aliviar o trânsito na Avenida Higienópolis
Os trabalhos envolvem mudança de sentido em duas ruas e proíbe conversões à esquerda de outras duas pistas.
21/02/2018
Vereadores afastados ganham mais tempo para contestar pedido de cassação na Câmara Municipal
Defesas de Mário Takahashi e Rony Alves têm até março para responder acusações de Filipe Barros, que quer revogação dos mandatos.
21/02/2018
Justiça bloqueia bens de servidor que teria superfaturado contratos da Santa Casa de Cambé
Segundo o Ministério Público, irregularidades teriam acontecido entre 2004 e 2012. Acusado tem duas semanas para apresentar defesa.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.