Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 13/02/2018 às 14:54:00
Prefeitura espera TAC com hospital de Londrina para fazer reconstrução pontes de madeira do Lago Igapó
As travessias estão comprometidas e precisam ser refeitas.

As más condições das pontes de madeira na extensão do Lago Igapó são alvos de reclamações constantes, principalmente dos pedestres que freqüentam o espaço. Mas, não há previsão de quando elas serão reparadas pela prefeitura. Segundo o Secretário Municipal de Obras, João Verçosa, a intenção era fazer os reparos por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Ou seja, um acordo com o Hospital do Coraçãozinho, que construiu um heliponto, que está um metro e meio acima da medida permitida pela lei. Para regularizar a situação, o hospital daria uma contrapartida, que seriam essas obras de reconstrução.

Segundo o Secretário, o trâmite é burocrático, e envolve mais órgãos, além da prefeitura, inclusive o Ministério Público. Sendo assim, o município não sabe quando isso deve acontecer.

De acordo com Verçosa, a intenção da prefeitura é duplicar a avenida Faria Lima, principalmente na altura do Lago Igapó. A obra vai melhorar o fluxo de veículos na região e resolver o problema de uma das pontes, que inclusive está interditada.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria de imprensa do Hospital do Coraçãozinho de Londrina até o fechamento desta edição.

Veja também
21/02/2018
Câmara quer reunião com entidades para discutir revogação de plebiscito da Sercomtel
Leis aprovadas na década de 90 e em 2009 estabelecem consulta popular para decisões que envolvam situação financeira da telefonia
21/02/2018
CMTU modifica vias do Parque Guanabara para aliviar o trânsito na Avenida Higienópolis
Os trabalhos envolvem mudança de sentido em duas ruas e proíbe conversões à esquerda de outras duas pistas.
21/02/2018
Vereadores afastados ganham mais tempo para contestar pedido de cassação na Câmara Municipal
Defesas de Mário Takahashi e Rony Alves têm até março para responder acusações de Filipe Barros, que quer revogação dos mandatos.
21/02/2018
Justiça bloqueia bens de servidor que teria superfaturado contratos da Santa Casa de Cambé
Segundo o Ministério Público, irregularidades teriam acontecido entre 2004 e 2012. Acusado tem duas semanas para apresentar defesa.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.