Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 13/02/2018 às 14:54:00
Prefeitura espera TAC com hospital de Londrina para fazer reconstrução pontes de madeira do Lago Igapó
As travessias estão comprometidas e precisam ser refeitas.

As más condições das pontes de madeira na extensão do Lago Igapó são alvos de reclamações constantes, principalmente dos pedestres que freqüentam o espaço. Mas, não há previsão de quando elas serão reparadas pela prefeitura. Segundo o Secretário Municipal de Obras, João Verçosa, a intenção era fazer os reparos por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Ou seja, um acordo com o Hospital do Coraçãozinho, que construiu um heliponto, que está um metro e meio acima da medida permitida pela lei. Para regularizar a situação, o hospital daria uma contrapartida, que seriam essas obras de reconstrução.

Segundo o Secretário, o trâmite é burocrático, e envolve mais órgãos, além da prefeitura, inclusive o Ministério Público. Sendo assim, o município não sabe quando isso deve acontecer.

De acordo com Verçosa, a intenção da prefeitura é duplicar a avenida Faria Lima, principalmente na altura do Lago Igapó. A obra vai melhorar o fluxo de veículos na região e resolver o problema de uma das pontes, que inclusive está interditada.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria de imprensa do Hospital do Coraçãozinho de Londrina até o fechamento desta edição.

Veja também
10/12/2018
Pesquisa mostra que paranaenses podem terminar 2018 menos endividados
E o índice de inadimplência caiu no estado no mês passado.
10/12/2018
Morador volta a cobrar rede de esgoto em bairro da região oeste de Londrina
Ele alega que as fossas enchem rapidamente porque não podem ser tão profundas, no local o solo é rochoso.
10/12/2018
Zona Azul cogita operar por meio de aplicativos e os pagamentos poderão ser feitos com cartão de crédito
Hoje o usuário das vagas de estacionamento em diversos pontos de Londrina pode pagar somente em dinheiro e por hora.
10/12/2018
Servidores públicos de Bandeirantes denunciados por peculato e associação criminosa são presos
A justiça determinou a prisão preventiva de quatro servidores que já estavam afastados das atividades.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.