Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 11/09/2018 às 18:35:00
Operações do Gaeco e MP não foram motivações políticas afirma coordenador do órgão no Paraná
Foram deflagradas, na manhã deste 11 de setembro, as operações Rádio Patrulha e a continuidade da Lava Jato que resultou na prisão de empresários, agentes políticos e do ex-governador do Paraná.
Operações do Gaeco e MP não foram motivações políticas afirma coordenador do órgão no Paraná

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco e o Ministério Público realizaram duas operações na manhã desta última terça-feira, 11 de setembro. Ambas com foco em equipes do ex-governador Beto Richa, candidato ao Senado.

A “Operação Rádio Patrulha” apura o suposto direcionamento de licitação para beneficiar empresários e o pagamento de propina a agente públicos, além de lavagem de dinheiro relacionada ao Programa. Ainda segundo o Gaeco, os crimes teriam ocorrido entre 2012 e 2014".

Nessa operação 15 mandados de prisão foram cumpridos e 26 de busca e apreensão nas cidades de Curitiba, Londrina, Santo Antônio do Sudoeste e Nova Prata do Iguaçu.

Entre os presos estão o ex-governador Beto Richa, José Richa, irmão do ex-governador; Fernanda Richa, esposa de Beto, e também o ex-chefe de gabinete do mandato, Deonilson Roldo; Ezequias Moreira e empresários.

A ação do Gaeco foi desencadeada simultaneamente com a 53ª Fase da Lava Jato, a Operação Piloto, que apura irregularidades na licitação de duplicação da PR-323.  

O Gaeco, cumpriu nessa operação oito mandados de prisão, 12 mandados de busca e apreensão sete conduções coercitivas.

De acordo com o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti, as investigações correm em segredo de justiça. Batisti, alega ter sido uma grande coincidência ambas as operações no mesmo dia.

De acordo com Leonir apesar de ser um período eleitoral, a ação não foi feita com o objetivo de tentar de alguma forma interferir no processo eleitoral ao qual o ex-governador concorre nessas eleições.

As prisões preventivas, por cinco dias, são para que sejam recolhidos documentos e possíveis provas que promovam o desfecho da investigação.

As investigações começaram por denuncias de empresários.

Veja também
26/06/2019
MPF expede recomendação para que Econorte retome serviços em duas rodovias da região
Documento se baseia em decisão da Justiça Federal e multa do DER por descumprimento de cronograma.
26/06/2019
Ministério Público pede prorrogação para mais 90 dias do monitoramento eletrônico de Rony Alves
O prazo para que o vereador afastado use tornozeleira eletrônica terminou nesta quarta-feira.
26/06/2019
Avenida Soiti Taruma fica interditada a partir desta quinta-feira
Secretário de Obras diz que construção de ponte foi a melhor solução para o trânsito e as enchentes na região.
26/06/2019
Comissão das Clínicas Psiquiátricas ouve vereador e assistente social
João Martins e a filha, Greice Kelle de Souza, são citados em depoimentos prestados ao Ministério Público por funcionários e ex-funcionários das duas instituições investigadas.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.