Londrina - AO VIVO
Mensagem de Fé:
Adma Augusta
Ouvir
Publicado em 11/09/2018 às 18:35:00
Operações do Gaeco e MP não foram motivações políticas afirma coordenador do órgão no Paraná
Foram deflagradas, na manhã deste 11 de setembro, as operações Rádio Patrulha e a continuidade da Lava Jato que resultou na prisão de empresários, agentes políticos e do ex-governador do Paraná.
Operações do Gaeco e MP não foram motivações políticas afirma coordenador do órgão no Paraná

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco e o Ministério Público realizaram duas operações na manhã desta última terça-feira, 11 de setembro. Ambas com foco em equipes do ex-governador Beto Richa, candidato ao Senado.

A “Operação Rádio Patrulha” apura o suposto direcionamento de licitação para beneficiar empresários e o pagamento de propina a agente públicos, além de lavagem de dinheiro relacionada ao Programa. Ainda segundo o Gaeco, os crimes teriam ocorrido entre 2012 e 2014".

Nessa operação 15 mandados de prisão foram cumpridos e 26 de busca e apreensão nas cidades de Curitiba, Londrina, Santo Antônio do Sudoeste e Nova Prata do Iguaçu.

Entre os presos estão o ex-governador Beto Richa, José Richa, irmão do ex-governador; Fernanda Richa, esposa de Beto, e também o ex-chefe de gabinete do mandato, Deonilson Roldo; Ezequias Moreira e empresários.

A ação do Gaeco foi desencadeada simultaneamente com a 53ª Fase da Lava Jato, a Operação Piloto, que apura irregularidades na licitação de duplicação da PR-323.  

O Gaeco, cumpriu nessa operação oito mandados de prisão, 12 mandados de busca e apreensão sete conduções coercitivas.

De acordo com o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti, as investigações correm em segredo de justiça. Batisti, alega ter sido uma grande coincidência ambas as operações no mesmo dia.

De acordo com Leonir apesar de ser um período eleitoral, a ação não foi feita com o objetivo de tentar de alguma forma interferir no processo eleitoral ao qual o ex-governador concorre nessas eleições.

As prisões preventivas, por cinco dias, são para que sejam recolhidos documentos e possíveis provas que promovam o desfecho da investigação.

As investigações começaram por denuncias de empresários.

Veja também
01/11/2019
Período da Piracema começa nesta sexta-feira
Durante quatro meses, é proibido pescar nos rios do Paraná.
01/11/2019
PM cumpre ordem de reintegração de posse da fazenda Palheta em Alvorada do Sul
Os integrantes do MST ocupavam a área desde 2010.
31/10/2019
Garoto de 15 anos suspeito de ter matado a própria mãe e depois tentado matar o padrasto a facadas diz não se lembrar do que fez
Ele foi pego pela polícia perto da escola e na mochila foram encontradas a possível arma do crime e uma máscara de “Dia das Bruxas”.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.