Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 12/02/2018 às 18:27:00
Ministério Público Federal defende retorno de investigação contra Beto Richa
Inquérito que apura possível envolvimento do governador do Paraná na Operação Publicano, que descobriu corrupção na Receita Estadual, foi anulado pelo ministro Gilmar Mendes, do STF.
Ministério Público Federal defende retorno de investigação contra Beto Richa

O Ministério Público Federal quer a retomada da investigação de suposta participação do governador do Paraná, Beto Richa, do PSDB, no esquema de corrupção instalado na Receita Estadual, essência da chamada Operação Publicano, deflagrada há mais de três anos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, o Gaeco. Os fatos apurados teriam acontecido entre 2008 e 2014. O nome de Richa apareceu depois de depoimentos prestados por meio de acordo de colaboração premiada pelo ex-auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, considerado o principal delator da Publicano.

Por conta do foro privilegiado do governador, o processo subiu ao Superior Tribunal de Justiça, o STJ, depois que a Procuradoria Geral da República pediu a abertura de um inquérito. Em dezembro, Richa, até então investigado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa dois, obteve uma vitória na Justiça. O ministro Gilmar Mendes, do STF, identificou irregularidades na delação de Souza. 

Em um documento enviado à Corte na semana passada, o subprocurador-geral da República, Juliano Baiocchi Vila-Verde, descartou qualquer ilegalidade. Apesar de Beto Richa ter sido citado no acordo firmado pelo juiz Juliano Nanuncio, da 3ª Vara Criminal de Londrina, a apuração contra o tucano, pelo menos na primeira instância, não teve nenhum avanço.

Em nota, a assessoria de imprensa do governo estadual avaliou que o parecer de Gilmar Mendes levou em conta a Constituição Federal para suspender o inquérito que tramitava no STJ. A defesa de Richa considerou que o depoimento de Souza foi prestado ao Ministério Público Estadual, que não teria competência para investigar o chefe do Executivo paranaense. 

Veja também
21/02/2018
Câmara quer reunião com entidades para discutir revogação de plebiscito da Sercomtel
Leis aprovadas na década de 90 e em 2009 estabelecem consulta popular para decisões que envolvam situação financeira da telefonia
21/02/2018
CMTU modifica vias do Parque Guanabara para aliviar o trânsito na Avenida Higienópolis
Os trabalhos envolvem mudança de sentido em duas ruas e proíbe conversões à esquerda de outras duas pistas.
21/02/2018
Vereadores afastados ganham mais tempo para contestar pedido de cassação na Câmara Municipal
Defesas de Mário Takahashi e Rony Alves têm até março para responder acusações de Filipe Barros, que quer revogação dos mandatos.
21/02/2018
Justiça bloqueia bens de servidor que teria superfaturado contratos da Santa Casa de Cambé
Segundo o Ministério Público, irregularidades teriam acontecido entre 2004 e 2012. Acusado tem duas semanas para apresentar defesa.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.