Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 15/03/2019 às 14:39:00
Justiça determina o bloqueio R$ 1,3 milhão de bens do prefeito de Rolândia
Além dele, mais sete pessoas e quatro empresas também tiveram os bens barrados judicialmente. Todos investigados na operação Patrocínio.
Justiça determina o bloqueio R$ 1,3 milhão de bens do prefeito de Rolândia

O juiz Marcos Rogério César Rocha, da Vara da Fazenda Pública, tornou indisponível parcialmente, os bens de quatro empresas e oito pessoas investigadas na Operação Patrocínio, deflagrada pelo Ministério Público (MP) em setembro do ano passado. Na lista, prefeito de Rolândia, Luiz Francisconi Neto, que teve mais de R$ 1,3 milhão bloqueados pela justiça. O promotor Renato de Lima Castro, coordenador do Gepatria (Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa) afirma que a indisponibilidade é importante para que seja assegurada a devolução de dinheiro aos cofres públicos em caso de condenação.

Ao todo são R$ 14 milhões barrados judicialmente. O juiz entendeu que "são fartos os indícios de responsabilidade dos acusados, sobretudo porque os acordos de delação premiada, revelam, ao menos em sede de cognição superficial, própria deste momento processual, fundados indicativos de que houve, de fato, conluio entre os réus para a prática de fraude do procedimento licitatório da concessão de uso de bem público mediante o pagamento de valores indevidos, vulgo propina". O promotor afirma que as investigações mostram que houve participação de todos em prol de enriquecimento ilícito.

Os promotores do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Gepatria chegaram a pedir um novo afastamento de Francisconi do cargo e o monitoramento por tornozeleira eletrônica. Mas, a solicitação não foi aceita pelo juiz. Ele voltou à prefeitura em fevereiro, por decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). O MP promete recorrer da decisão.

O Ministério Público investiga um suposto esquema de pagamento de propina ao chefe do executivo rolandense em troca de benefício de empresas. Além do prefeito, empresários, servidores e ex-secretários municipal já foram indiciados por 35 crimes.

A reportagem tentou contato com Francisconi, mas ele não atendeu às nossas ligações.

Veja também
18/03/2019
Câmara dá explicações sobre o pedido do MP em suspender sessão de julgamento dos vereadores afastados Rony Alves e Mario Takahashi
Foram feitos questionamentos ao MP sobre possíveis procedimentos adotados pela Casa. Prazo de 10 dias para anular a sessão está suspenso.
18/03/2019
Movelpar 2019 aposta no mercado externo para ampliar vendas
Em sua 12ª edição, Feira traz a Arapongas 120 indústrias expositoras e 30 importadores de 11 países. Expectativa é receber mais de 35 mil pessoas nos quatro dias.
18/03/2019
Falta do feijão altera cardápio da merenda na rede municipal Londrina
O grão está mais caro e empresa que fornece os produtos está com dificuldade de fazer a compra e a distribuição nas escolas e creches.
18/03/2019
Justiça condena viúva de José Janene em processo do Mensalão. Além dela, mais sete pessoas foram indiciadas
O ex-deputado, que morreu em 2010, foi o protagonista da primeira ação da operação Lava Jato.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.