Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 15/03/2019 às 14:39:00
Justiça determina o bloqueio R$ 1,3 milhão de bens do prefeito de Rolândia
Além dele, mais sete pessoas e quatro empresas também tiveram os bens barrados judicialmente. Todos investigados na operação Patrocínio.
Justiça determina o bloqueio R$ 1,3 milhão de bens do prefeito de Rolândia

O juiz Marcos Rogério César Rocha, da Vara da Fazenda Pública, tornou indisponível parcialmente, os bens de quatro empresas e oito pessoas investigadas na Operação Patrocínio, deflagrada pelo Ministério Público (MP) em setembro do ano passado. Na lista, prefeito de Rolândia, Luiz Francisconi Neto, que teve mais de R$ 1,3 milhão bloqueados pela justiça. O promotor Renato de Lima Castro, coordenador do Gepatria (Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa) afirma que a indisponibilidade é importante para que seja assegurada a devolução de dinheiro aos cofres públicos em caso de condenação.

Ao todo são R$ 14 milhões barrados judicialmente. O juiz entendeu que "são fartos os indícios de responsabilidade dos acusados, sobretudo porque os acordos de delação premiada, revelam, ao menos em sede de cognição superficial, própria deste momento processual, fundados indicativos de que houve, de fato, conluio entre os réus para a prática de fraude do procedimento licitatório da concessão de uso de bem público mediante o pagamento de valores indevidos, vulgo propina". O promotor afirma que as investigações mostram que houve participação de todos em prol de enriquecimento ilícito.

Os promotores do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Gepatria chegaram a pedir um novo afastamento de Francisconi do cargo e o monitoramento por tornozeleira eletrônica. Mas, a solicitação não foi aceita pelo juiz. Ele voltou à prefeitura em fevereiro, por decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). O MP promete recorrer da decisão.

O Ministério Público investiga um suposto esquema de pagamento de propina ao chefe do executivo rolandense em troca de benefício de empresas. Além do prefeito, empresários, servidores e ex-secretários municipal já foram indiciados por 35 crimes.

A reportagem tentou contato com Francisconi, mas ele não atendeu às nossas ligações.

Veja também
25/05/2019
Audiência Pública para discutir novo edital do transporte coletivo de Londrina tem baixa participação popular
Diretor de Transporte da CMTU diz que tarifa prevista no primeiro certame, não vale mais e que preço da passagem deve ficar próximo do atual, R$ 4,25.
24/05/2019
Mãe de Eduarda fala sobre a morte da filha e divulga arquivos da família, a garota de 11 anos foi estrangulada e assassinada, o pai é suspeito de cometer o crime
A ação ocorreu há um mês, o corpo da menina foi encontrado enterrado e amarrado nos fundos de uma propriedade do pai.
24/05/2019
Fim da obra na avenida Faria Lima fica para setembro
A empresa alegou dificuldade para terminar o serviço por conta da chuva e pediu um aditivo de mais quatro meses.
24/05/2019
ACIL afirma que vai recorrer da decisão que a obriga devolver R$ 500 mil para a prefeitura de Londrina
A entidade foi condenada pela justiça no caso da campanha LondriNatal de 1999.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.