Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 12/02/2018 às 17:05:00
Justiça arquiva inquérito de homem que morreu ao invadir plantão de delegacia em Londrina
O vigilante Rogério Teixeira, de 46 anos, morreu após ser baleado por um policial civil.

A juíza da 1ª Vara Criminal de Londrina, Elisabeth Kather, determinou o arquivamento do inquérito que apurava a morte do vigilante Rogério Teixeira, 46 anos, em julho do ano passado quando ele invadiu o plantão da sede da 10ª Subdivisão Policial. Segundo as investigações, ele quebrou a porta de vidro da delegacia, na avenida Leste Oeste. A ação foi flagrada por uma câmera de segurança.

Um investigador estava trabalhando quando a proteção foi arrombada. Para a Justiça, ele agiu em legítima defesa ao atirar contra o invasor. Na época, o delegado-chefe da Polícia Civil, Osmir Ferreira Neves, disse que o servidor chegou a atirar nas paredes para conter o homem, que não teria se assustado.

Ele efetuou um novo disparo contra Teixeira, que ainda teria perseguido o policial pelas dependências da delegacia. Baleado, ele foi ao chão por causa do ferimento e morreu pouco depois. O Instituto de Criminalística teria encontrado uma porção de cocaína em um dos bolsos da vítima.

Em depoimento, a mãe do vigilante observou que o filho sofria de transtornos mentais. Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná informou que o investigador ainda é alvo de um processo disciplinar. Depois do caso, ele foi afastado, mas já retorno ao trabalho. 

Veja também
21/02/2018
Câmara quer reunião com entidades para discutir revogação de plebiscito da Sercomtel
Leis aprovadas na década de 90 e em 2009 estabelecem consulta popular para decisões que envolvam situação financeira da telefonia
21/02/2018
CMTU modifica vias do Parque Guanabara para aliviar o trânsito na Avenida Higienópolis
Os trabalhos envolvem mudança de sentido em duas ruas e proíbe conversões à esquerda de outras duas pistas.
21/02/2018
Vereadores afastados ganham mais tempo para contestar pedido de cassação na Câmara Municipal
Defesas de Mário Takahashi e Rony Alves têm até março para responder acusações de Filipe Barros, que quer revogação dos mandatos.
21/02/2018
Justiça bloqueia bens de servidor que teria superfaturado contratos da Santa Casa de Cambé
Segundo o Ministério Público, irregularidades teriam acontecido entre 2004 e 2012. Acusado tem duas semanas para apresentar defesa.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.