Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 06/12/2017 às 19:31:00
Juízes e Comissão de Promoção Humana e Social provem ações beneficentes a entidades e escolas
Entre as ações de final de ano estão cartas adotadas de uma escola inteira, concertos de Natal e arrecadação de recursos.
Juízes e Comissão de Promoção Humana e Social provem ações beneficentes a entidades e escolas

Quatro ações estão sendo desenvolvidas pela Comissão de Promoção Humana e Social do Fórum Estadual de Londrina e juízes.

De acordo com o juiz, Luiz Valério dos Santos, diretor geral do Fórum, são quatro ações só nesse final de ano. Entre elas a escola Ilece é contemplada, tanto a do centro como a do Jardim Cafezal, região sul de Londrina. As unidades foram selecionadas pela Comissão e todas as cartas que os estudantes escreveram para o Papai Noel dos Correios foram adotas pelos servidores e funcionários do Fórum.

A outra ação já promovida foi para o Nuselon, onde foram doados R$ 7 mil a entidade de um jantar beneficente.

A outra ação é promovida pelos 44 juízes de Londrina que se juntam para arrecadar recursos e doar para entidades.

A última ação são os concertos que iniciam nesta quinta-feira no próprio Fórum, tudo para as pessoas que passam no local ter um pouco mais do espírito de natal. 

Veja também
21/02/2018
Câmara quer reunião com entidades para discutir revogação de plebiscito da Sercomtel
Leis aprovadas na década de 90 e em 2009 estabelecem consulta popular para decisões que envolvam situação financeira da telefonia
21/02/2018
CMTU modifica vias do Parque Guanabara para aliviar o trânsito na Avenida Higienópolis
Os trabalhos envolvem mudança de sentido em duas ruas e proíbe conversões à esquerda de outras duas pistas.
21/02/2018
Vereadores afastados ganham mais tempo para contestar pedido de cassação na Câmara Municipal
Defesas de Mário Takahashi e Rony Alves têm até março para responder acusações de Filipe Barros, que quer revogação dos mandatos.
21/02/2018
Justiça bloqueia bens de servidor que teria superfaturado contratos da Santa Casa de Cambé
Segundo o Ministério Público, irregularidades teriam acontecido entre 2004 e 2012. Acusado tem duas semanas para apresentar defesa.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.