Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 12/07/2018 às 19:13:00
Indústria de couro desativada atingida por incêndio pode responder por crime ambiental
Sema e IAP abriram um processo para averiguar responsabilidades da empresa, já falida, na ocorrência, que, além do possível dano ao meio ambiente, incomodou os moradores da zona sul de Londrina.
Indústria de couro desativada atingida por incêndio pode responder por crime ambiental

Foram mais de 15 horas ininterruptas de combate ao incêndio, que destruiu todo o material armazenado num dos barracões da fábrica de couro desativada, localizada às margens da PR-445, na saída de Londrina para Curitiba. Três caminhões do Corpo de Bombeiros se revezaram na contenção das chamas, que consumiram toneladas de retalhos de couro já curtido. E é justamente este detalhe que preocupa os órgãos ambientais, já que, quando passa pelo processo de curtume, o material recebe cromo, um metal altamente tóxico que, por meio do incêndio, pode ter contaminado o ambiente ao redor e prejudicado a saúde dos moradores.

Secretaria Municipal do Ambiente e Instituto Ambiental do Paraná se reuniram pra levantar os possíveis danos ambientais, além de averiguar a responsabilidade da indústria, falida há dois anos. Quem explica é o secretário Gilmar Domingues Pereira.

O telefone da secretaria para denúncias e mais informações é o 3372-4758.

Veja também
10/12/2018
Pesquisa mostra que paranaenses podem terminar 2018 menos endividados
E o índice de inadimplência caiu no estado no mês passado.
10/12/2018
Morador volta a cobrar rede de esgoto em bairro da região oeste de Londrina
Ele alega que as fossas enchem rapidamente porque não podem ser tão profundas, no local o solo é rochoso.
10/12/2018
Zona Azul cogita operar por meio de aplicativos e os pagamentos poderão ser feitos com cartão de crédito
Hoje o usuário das vagas de estacionamento em diversos pontos de Londrina pode pagar somente em dinheiro e por hora.
10/12/2018
Servidores públicos de Bandeirantes denunciados por peculato e associação criminosa são presos
A justiça determinou a prisão preventiva de quatro servidores que já estavam afastados das atividades.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.