Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 05/12/2017 às 18:51:00
Falta de segurança, essa é a maior reclamação de concessionários de jazigos em cemitérios de Londrina
Um levantamento dos dados de uma pesquisa ainda está sendo finalizado pela Acesf.
Falta de segurança, essa é a maior reclamação de concessionários de jazigos em cemitérios de Londrina

Durante o mês de novembro, em especial durante o dia de finados e na semana seguinte, a Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina – Acesf iniciou uma pesquisa de satisfação dos concessionários de jazigos nos cemitérios das áreas urbana e rural.

Os dados ainda estão sendo compilados, mas de açodo com o superintendente da Acesf, Douglas Pereira, a maior reclamação registrada é a falta de segurança.

Douglas ressalta que melhorias já foram feitas em dois cemitérios para dar mais segurança. Câmeras de vigilância foram instaladas no São Pedro e serão instaladas no Jardim da Saudade no Anchieta. Os outros também devem receber o monitoramento via vídeo feito pela Guarda Municipal e muros altos com concertina.

Mil concessionários responderam aos questionamentos feitos por servidores que abordaram essas pessoas dentro dos cemitérios ou respondidas pela internet. 

Veja também
21/02/2018
Câmara quer reunião com entidades para discutir revogação de plebiscito da Sercomtel
Leis aprovadas na década de 90 e em 2009 estabelecem consulta popular para decisões que envolvam situação financeira da telefonia
21/02/2018
CMTU modifica vias do Parque Guanabara para aliviar o trânsito na Avenida Higienópolis
Os trabalhos envolvem mudança de sentido em duas ruas e proíbe conversões à esquerda de outras duas pistas.
21/02/2018
Vereadores afastados ganham mais tempo para contestar pedido de cassação na Câmara Municipal
Defesas de Mário Takahashi e Rony Alves têm até março para responder acusações de Filipe Barros, que quer revogação dos mandatos.
21/02/2018
Justiça bloqueia bens de servidor que teria superfaturado contratos da Santa Casa de Cambé
Segundo o Ministério Público, irregularidades teriam acontecido entre 2004 e 2012. Acusado tem duas semanas para apresentar defesa.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.