Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 15/05/2018 às 18:11:00
Executivo propõe que IPPUL seja responsável pela aprovação de projetos de loteamento urbano em Londrina
A competência antes era da Secretaria de Obras, que continuará apenas fiscalizando os processos.

Três projetos que alteram o processo de loteamento e urbanização da cidade foram entregues à Câmara de Vereadores para serem analisados. O Executivo retira da Secretaria de Obras e transfere para o IPPUL a competência para aprovar novos loteamentos. Segundo o diretor presidente do Instituto, Roberto Alves Lima Júnior, é uma forma de centralizar o serviço.

O mesmo sistema já é usado em outros municípios e ajuda a dar mais agilidade ao processo.

O presidente do IPPUL alega que a medida não tem ligação com a Operação ZR3 deflagrada no início do ano, que envolveu a questão de zoneamento da cidade, mas reforça o poder decisório do Instituto enquanto órgão técnico de planejamento.

Também foram apresentadas outras duas propostas de emenda à Lei Orgânica.

Com a proposta do Executivo, se o parecer do IPPUL for desfavorável à mudança de zoneamento o projeto de Lei vai ser automaticamente arquivado na Câmara.

Veja também
17/07/2018
Sem chuva há mais de um mês, Londrina entra em estado de atenção por conta da baixa umidade relativa do ar
Índice está bem abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Com tempo seco, cuidado com a saúde precisa ser redobrado.
17/07/2018
Após divulgação de conversa, advogados de defesa da Comissão Processante da ZR3 pedem investigação contra vereador Filipe Barros
Mensagens mostram que assessor do parlamentar sabia que Rony Alves e Mário Takahashi iriam ser alvos de operação do Ministério Público meses antes de caso vir à tona.
17/07/2018
Mudanças na Lei Estadual de Inovação podem ajudar Londrina a se tornar grande polo de tecnologia
Cidade é a principal do estado na criação de startups, que, depois das alterações, terão mais meios pra captação de recursos e investimentos.
16/07/2018
Ação Civil Pública quer retorno da educação integral para crianças de quatro anos da rede municipal
Ministério Público argumenta que mudança foi um retrocesso, já que retirou direitos já garantidos à população.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.