Londrina - AO VIVO
Manhã da Globo:
Julio Cesar
Ouvir
Publicado em 05/07/2018 às 19:39:00
E-Social passa a valer para todas as empresas a partir de 18 de julho
Quem tem funcionários registrados, incluindo os Microempreendedores Individuais, terá que utilizar o novo sistema para enviar as informações dos empregados ao Governo.
E-Social passa a valer para todas as empresas a partir de 18 de julho

A ideia é reunir dados sobre as obrigações trabalhistas, fiscais e previdenciárias das empresas em um único ambiente. E todas elas têm até o dia 18 de julho para adotar o e-Social. Esta é uma das últimas etapas de implementação do sistema. Para o diretor financeiro da ACIL e contador, Rodolfo Zanluchi, o programa vai trazer mais segurança a empregadores e empregados, além de reduzir a burocracia. Com a transmissão eletrônica dos dados, acaba a necessidade de enviar guias, formulários e muitos outros documentos para diferentes órgãos.

Zanluchi avalia que o começo do processo pode gerar alguma confusão, mas a tendência é que com o tempo as empresas e os escritórios de contabilidade se ajustem ao novo sistema.

O diretor da Acil afirma que para acessar o e-Social é preciso ter a certificação digital, uma assinatura eletrônica que garante que as informações foram enviadas realmente pela empresa.

Para a emissão do certificado é preciso ir, pelo menos uma vez, pessoalmente ao agente certificador. O diretor da Acil explica que, desde janeiro, as empresas de grande porte, com faturamento anual superior a R$ 78 milhões já entraram para o e-Social.

Rodolfo Zanluchi diz que nesta etapa do e-Social, que começa no dia 18 de julho, todas as empresas, de qualquer tamanho, já devem adotar a plataforma. Inclusive os micro-empreendedores individuais que têm funcionário.

O diretor financeiro da ACIL orienta quem ainda está com dúvidas sobre o novo sistema ou não sabe como se adequar às novas exigências a buscar auxílio.

Veja também
24/09/2018
Juiz nega liminar e mantém sessão que absolveu Mário Takahashi e Rony Alves
Na decisão, magistrado afirma que vereador não teria legitimidade para propor o mandado de segurança e que anular a sessão seria uma violação à independência do Legislativo.
24/09/2018
Comissão dá parecer favorável ao Projeto de Iniciativa Popular que revoga a Lei do IPTU
Coordenador de Movimento se queixa da demora na tramitação da proposta e líder do Governo na Casa não fala em plano B, mas diz que o Município passa por problemas financeiros e a solução precisa ser discutida em várias frentes.
24/09/2018
Audiência pública vai discutir o futuro do transporte coletivo em Londrina
A intenção é debater os pontos principais do edital de licitação que será aberto para contratar a nova empresa que vai assumir o serviço a partir de 2019.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.