Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 13/06/2018 às 18:34:00
Defesa de Mauro Janene pede anulação de julgamento que o condenou a 11 anos de prisão por ter assassinado a professora Estela Pacheco
O crime ocorreu há 18 anos, a professora que mantinha um caso com o agropecuarista, foi morta antes de ser jogada do 12º de um prédio no centro de Londrina.
Defesa de Mauro Janene pede anulação de julgamento que o condenou a 11 anos de prisão por ter assassinado a professora Estela Pacheco

Em março desse ano o agropecuarista Mauro Janene, foi condenado a 11 anos de prisão pela morte da professora Estela Pacheco, com quem mantinha uma relação há 18 anos, quando ela teria sido morta e depois atirada pela janela do 12º andar do apartamento do agropecuarista.

À época Mauro Janene, disse à polícia que ela ameaçou se jogar e que não conseguiu segurá-la. Mas um laudo da necropsia mostrou que a professora já estava morta antes da queda.

A família da professora esperou esses 18 anos para que o caso fosse julgado, depois de ter sido adiado várias vezes.

Agora a advogada de Janene, quer anular o julgamento, quer a revisão da condenação ou mesmo redução da pena, caso a Justiça não anule. Para a defesa os jurados contrariaram as provas do processo e ainda pede o detalhamento do que falaram as testemunhas durante a sessão de julgamento.

O julgamento foi em Ponta Grossa à pedido da defesa. Mauro Janene, apesar de condenado recorre em liberdade. Não há prazo para que a justiça decida sobre o pedido da defesa.

Nossa reportagem tentou contato com a defesa de Mauro Janene, mas não recebemos retorno.

Já o advogado Marco Ticianelli, que defende a família de Estela Pacheco, ainda estuda o pedido de Janene, e vai se pronunciar quando tiver um parecer de quais medidas deverão ser tomadas.

Mas ressaltou à nossa reportagem que prazos para cumprimento da condenação não poderão mais ser postergados, diante de tantos prazos já obtidos pela defesa do réu, isso será solicitado a Justiça.

Veja também
18/06/2018
Instituto de Pesos e Medidas fiscaliza radares móveis da CMTU
Fiscalização do órgão também vistoriou tacógrafos de mais de 300 caminhões, ônibus e vans, e dez motoristas foram multados.
18/06/2018
Suspeita de vantagem indevida para licença de pontos de food trucks leva vereador a questionar fiscalização pela prefeitura de Londrina
Denuncias chegaram a Câmara pelos próprios empresários do setor que não entendem como algumas pessoas passam à frente da lista de vagas da CMTU.
18/06/2018
Receita Estadual entrega documentação ao Ministério Público para apurar abusos nos reajustes dos combustíveis durante a greve dos caminhoneiros
Os donos de postos podem responder por crime contra a economia popular e as relações de consumo.
18/06/2018
Projeto nacional da Serasa traz caminhão itinerante para Londrina
Cidade tem quase um terço da população com algum tipo de inadimplência, número acima da média nacional. No caminhão, consumidor tem acesso a serviços como consulta do CPF, pontuação de crédito e o chamado Cadastro Positivo.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.