Londrina - AO VIVO
:
Ouvir
Publicado em 15/04/2019 às 15:08:00
Decisão judicial beneficia réus da operação ZR3, que não precisam mais voltar pra casa à noite
O juiz também autorizou que eles deixem a cidade por até 15 dias sem ter que comunicar a saída.
Decisão judicial beneficia réus da operação ZR3, que não precisam mais voltar pra casa à noite

Oito réus da Operação ZR3 não precisam mais ficar em casa à noite. Esta era uma medida cautelar imposta pela justiça, por causa da investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O grupo é acusado de corrupção na emissão de documentos que alteram o zoneamento e áreas. A decisão do juiz da 2ª Vara Criminal de Londrina, Delcio Miranda da Rocha também autoriza os denunciados a se ausentarem do município por até 15 dias sem autorização judicial. Na operação, foram denunciadas 13 pessoas. Nessa lista, os vereadores Rony Alves e Mario Takahashi – que estão afastados do cargo desde janeiro do ano passado – empresários e servidores públicos. A derrubada do recolhimento noturno beneficia Mario Takahashi, Vander Mendes Ferreira, Luiz Guilherme Alho da Silva, Brasil Filho, Ossamu Kaminagakura, Homero Wagner Fronja, Evandir Duarte Aquino e José de Lima Castro Neto.

O vereador Rony Alves é o único que ainda está de tornozeleira eletrônica. Mas, não por causa da primeira determinação de janeiro e sim, porque teria ameaçado o denunciante do esquema, o agricultor Junior Zampar.

A reportagem entrou em contato com o promotor Leandro Antunes, mas ele preferiu não comentar a decisão.

Veja também
23/04/2019
Prefeitura ainda terá que abrir processo licitatório fechar a cratera no conjunto Neymann Sahyun
A intenção no início do ano era contratar emergencialmente uma empresa para tapar o buraco, mas a obra é maior do que o esperado e será preciso licitar.
23/04/2019
Projeto que altera cálculos de horas extras de servidores vai ser melhor discutido
A proposta que altera o Estatuto do Servidor Municipal foi questionada pelo Sindicato da categoria.
23/04/2019
Parceria com UEL vai formar Núcleo de Apoio Técnico ao Poder Judiciário
A intenção é que os trabalhos iniciem em dois meses e deve agilizar sentenças de solicitações a medicamentos que não estão disponíveis no SUS.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.