Londrina - AO VIVO
Rádio Globo Futebol Clube:
Rádio Globo Futebol Clube
Ouvir
Rádio Globo Futebol Clube - Rádio Globo Futebol Clube
Comunicadores
Maércio Ramos
Programa: Zoação na Globo

Literalmente, Maércio Ramos cantou a pedra. Nos anos 80, o sucesso profissional do então jovem 'morceguinho' começava a bater asas com a incrível capacidade que aquele filho de um cozinheiro de hotel tinha para entreter os hóspedes, embora sonhasse mesmo era ser jogador de futebol. Não foi, mas, muitos anos depois de ser recepcionista, animador, 'cantador' de bingo e até gerente de hotel-fazenda em Campinas, sua vida estaria intimamente ligada às quatro linhas de um campo de futebol - só que pelo lado de fora. 

Batizado Maércio Daniel Ramos, era imbatível na arte do entretenimento, superior a todos. Mas faltava-lhe exatamente a conjugação de duas palavras - uma delas já citada na frase anterior - faltava-lhe o curso superior. Que veio, na PUC de Campinas, por estímulo dos patrões do hotel, que apostaram nele certos de que, pelo talento, o perderiam para voos mais altos. Dito e feito. Embora formado em educação física - a veia de atleta sem chuteiras permanecia - foi parar no rádio. Parar? É apenas modo de se dizer.

Em 1988, um dos hóspedes do hotel, que era diretor da Rádio Educadora de Campinas, convidou Maércio para uma experiência na emissora. O 'morceguinho' saía do ninho. Durante sete anos, fez de tudo, na área de esporte ou não, e até na musical. Em 1993, novo voo para galho mais alto: Rádio Gazeta de São Paulo. Dois anos depois, pousava na copa frondosa da Rádio Globo, que buscava um talento extrovertido para reportagens do programa Agito Geral. O contratado receberia o brasão e seria conhecido pela alcunha de 'Morcegão da Globo'. Era o ninho perfeito.

Dois anos depois, como se diz na linguagem de rádio, hora do break. Maércio arruma as malas, volta para o interior (Avaré) com mulher e três filhos e aterrissa outra vez num hotel. Mas a experiência teve um ponto final, quando, em 2006, pousa de volta na Rádio Globo, na equipe de esportes, essa ave migratória, com o perdão da expressão, de grande plumagem humorística. E desse assunto - aves - ele entende: afinal, quem mais poderia classificar o quero-quero que driblou Neymar no jogo Santos 2 x 0 Botafogo na Vila Belmiro, dia 19 de outubro de 2011, com sendo um pássaro da família dos 'paralelepípedos', levando os companheiros Oscar Ulisses e Osvaldo Pascoal às gargalhadas durante a transmissão da Rádio Globo?

O Morcegão da Globo é, sem tirar nem por, o que ele mesmo diz nos microfones da emissora: 'Aqui não preciso explicar a emoção que sinto. Porque não sinto. Eu vivo essa emoção todo dia'.

Voa, Morcegão, voa!